quarta-feira, abril 25, 2018

terça-feira, abril 24, 2018

...




Não tens de ser bom.
Não tens de caminhar centenas de quilómetros de joelhos, pelo deserto, arrependido.
Apenas tens de deixar que o animal suave de teu corpo ame aquilo que ama.
Fala-me do desespero, o teu, e contar-te-ei do meu.
Entretanto, o mundo segue em frente.
O sol e os seixos límpidos da chuva atravessam as paisagens,
as pradarias e árvores profundas, as montanhas e os rios.
Entretanto, os gansos selvagens, altos no limpo ar azul,
regressam de novo a casa.
Quem quer que sejas e onde estejas, pouco importa quão solitário,
o mundo oferece-se à tua imaginação,
chama-te como os gansos selvagens, com rigor e entusiasmo,
de novo e de novo, a anunciarem o teu lugar
na família das coisas.


Poema de Mary Oliver
Foto minha


sábado, abril 21, 2018

....




Há coisas que nunca
tivemos em crianças e perdem
o valor para sempre. Aquele sempre
dos primeiros dez anos, onde o tempo,
as pessoas, as coisas
parecem enormes e indestrutíveis.

Disfarçar-se de relâmpago
ou de outras coisas impossíveis, comer
todos os chocolates, ter uma bicicleta igual
à do estúpido do vizinho, fazer
as coisas que os adultos escondem
atrás da porta dos quartos, retribuir
a bofetada aos nossos 
legítimos superiores, querer
morder com justa causa 
tanta gente no mundo e 
só poder no escuro
morder uma almofada.


Poema de Inês Lourenço
Ilustração de Yejukoo

quinta-feira, abril 19, 2018

quarta-feira, abril 18, 2018

domingo, abril 15, 2018

Os Justos





Um homem que cultiva o seu jardim, como queria Voltaire.
O que agradece que na terra haja música.
O que descobre com prazer uma etimologia.
Dois empregados que num café do Sul jogam um xadrez silencioso. 
O ceramista que premedita uma cor e uma forma.
O tipógrafo que compõe bem esta página, que talvez não lhe agrade.
Uma mulher e um homem que leem os tercetos finais de certo canto.
o que acarinha um animal adormecido.
O que justifica ou quer justificar um mal que lhe fizeram.
O que agradece que na terra haja Stevenson.
O que prefere que os outros tenham razão.

Essas pessoas, que se ignoram, estão a salvar o mundo.


Poema de Jorge Luís Borges
Ilustrações de Meral Sarioglu


sábado, abril 14, 2018

Música, GNR, Cais...


....
Lá do fundo do mar imundo imenso sais
Oh! Neptuno e as tuas sereias sensuais
Vendes o cais
....
Se o mercado emperra e somos todos iguais
Atençao! Cuidado voltas ao cais



quarta-feira, abril 11, 2018

...





Nobody realizes that some people expend tremendous energy merely to be normal.


De Albert Camus
Ilustraçao de Juan Hoyos Silva


domingo, abril 08, 2018

....




De Eugénio de Andrade


sábado, abril 07, 2018

....





Falhamos a vida, menino!
- Creio que sim... Mas todo o mundo mais ou menos a falha. Isto é, falha-se sempre na realidade aquela vida que se planeou com a imaginação. Diz-se: `vou ser assim, porque a beleza está em ser-se assim`. E nunca se é assim, é-se invariavelmente assado, como dizia o pobre marques. Às vezes melhor, mas sempre diferente.


Em Os Maias de Eça de Queirós
Ilustração de Christian Schloe



sexta-feira, abril 06, 2018

quinta-feira, março 22, 2018

Música, Bliss, Wish you where here..

like waves of the shore
part of the ocean
the stars high above
part of the sky
....
....
....

....
....
....
wish you where here



terça-feira, março 20, 2018

....



A thousand dreams wjthin me sofly burn:
from time to time my heart is like some oak
whose blood runs golden where a branch is torn.


De Arthur Rimbaud
E pintura de Amedeo Modogliani



segunda-feira, março 19, 2018

....




De  Haruki Murakami
em A sul da fronteira a oeste do sol



terça-feira, março 13, 2018

sábado, março 10, 2018

Música, Miguel Gameiro com Mariza, O teu Nome...

( So, so, beautiful... )

Só para afastar esta tristeza
para iluminar me coração
falta-me bem, mais, tenho a certeza
do que este piano e esta canção.
Falta-me soltar na noite acesa
o nome que no peito me sufoca,
e queima a minha boca.

Falta-me solta-lo aos quatros ventos
para depois segui-lo por onde for,
ou então dize-lo assim baixinho
embalando com carinho,
o teu nome, meu amor.

Porque todo ele é poesia
corre-me pelo peito como um rio,
devolve aos meus olhos a alegria
deixa no meu corpo um arrepio,
Porque todo ele é melodia
porque todo ele é perfeição.
É na luz escuridão.

Falta-me dize-lo lentamente
falta soletra-lo devagar,
ou então bebe-lo como um vinho,
que dá força pro caminho,
quando a força faltar.
Falta-me solta-lo aos quatro ventos
para depois segui-lo onde for,
ou então dize-lo assim baixinho
embalando com carinho,
o teu nome, meu amor.


quarta-feira, março 07, 2018

terça-feira, março 06, 2018

Múisca, Rachel Yamagata, Over and over...



Over and over and over and over again
Let it rain, let it rain i need within the storm
So happy ending come
And brings the winds that scream
And  spill the fog all over time
.....
.....

domingo, março 04, 2018

...






....



Tal vez  amar es aprender
a caminar por este mundo.
Aprender a quedarmos quietos
como el tilo y la encina de la fábula.
Aprender a mirar.
Tu mirada es sembradora.
Yo hablo
porque tú meces las follaies.


Poema de Octavio Paz
Iagem retirada do Tumblr


sexta-feira, março 02, 2018

Música, Alex Cameron, Stranger`s kiss....




Don`t bother flying when we jump off the cliff
Make sure st`s head first if you don`t want to deal with what ifs
I know you`re wondering if you`ll feel it again
Just keep on digging it down wjth your pail of tin
No shame in sleeping with the seagulls, baby
This towns a tourist trap, its no place to be living
They mada a meme out of of my legacy, darling
My hand are caught in the net and they`re pale and thin
......
......
.......



    quinta-feira, março 01, 2018

    quarta-feira, fevereiro 28, 2018

    ....



    Just... beautiful.


    sábado, fevereiro 24, 2018

    ...



    E pronto.

    Agora não.  Talvez daqui a uma hora, amanha, depois de amanha, mais tarde, mas agora não. Agora aguenta-te, finge que és forte, sorri ou, pelo menos, puxa os cantos da boca para cima: se mantiveres os olhos secos vão pensar que é um sorriso.
    (...)



    De António Lobo Antunes, Crónicas
    Pintura de Edvard Munch


    Música, David Lang, Just (After Song of Songs)


    Just your love



    sexta-feira, fevereiro 23, 2018

    ....



    Que posso eu fazer senão escutar o coração inseguro dos pássaros,
    encostar a face ao rosto lunar dos bêbados
    e perguntar o que aconteceu.


    De Eugénio de Andrade
    Foto retirada do Tumblr



    quinta-feira, fevereiro 22, 2018

    ...



    Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento.
    Mas ninguém chama violentas às margens que o comprimem.


    De Bertolt Brecht
    Fotografia retirada do Tumblr

    terça-feira, fevereiro 20, 2018

    Música, Mélanie Laurent, Insomnie..

    ....
    .....
    Encore une nuit sans l´espoir d`une fatigue soudaine
    Encore une nuit à résister sans s`épuiser soi meme
    Voir les heures s`écouler plus rapides que l`éclaire
    Voir les heures se faner
    Puis soudain la lumiére
    Puis soudain la lumiére
    Puis soudain...
    ...




    ....






    .....






    domingo, fevereiro 18, 2018

    ...




    Regressamos sempre aos velhos lugares onde amámos a vida. E só então compreendemos que não voltarão jamais todas as coisas que nos foram queridas.
    O amor é simples, e o tempo devora as coisas simples.


    De José Eduardo Agualusa
    Desenho de rougejin


    smile





    sábado, fevereiro 17, 2018

    Música, Rodrigo Leao e Scott Matthew, That`s Life


    You know that i won`t say goodbeye
    Why would i??

     


    ...



    - Sabe porque não somos felizes? - perguntou ele.
    - Desespero, solidão, medo?
    - Não. Por causa da realidade.


    De um poema de Afonso Cruz
    Desenho de Severi


    quarta-feira, fevereiro 14, 2018

    ....



    ...



    Descobre a minha orfandade,
    sobre a mesa, como um mapa.
    Desenhei o meu itinerário
    até ao meu lugar ao vento.
    Os que chegam não me encontram.
    Os que espero não existem.
    (...) 


    Poema Alejandra Pizarnikn
    Ilustraçao de autor desconhecido

    domingo, fevereiro 11, 2018

    ....





    Todos temos de aprender a delicadeza, ou não resistiremos. 
    Não é esse o tecido que as nossas dores tecem?

    de Mark Nepo

    quinta-feira, fevereiro 08, 2018

    segunda-feira, fevereiro 05, 2018

    domingo, fevereiro 04, 2018

    .....



    Não sei onde estás, se falas
    ou se apenas olhas o horizonte,
    que pode ser apenas o de uma
    parede de quarto. Mas sei que
    uma sombra se demora contigo,
    quando me pergunto onde estás:
    uma inquietação que atravessa
    o espaço entre mim e ti, e
    te rouba as certezas de hoje,
    como a mim me dá este poema.


    Poema de Nuno Júdice
    Ilustração de Juan Hoyos Silva


    Música, Ney Matogosso, Poema

    Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo...

    terça-feira, abril 12, 2016


    Há muito tempo que,
    tu e eu,
    nao nos encontrámos.

    Estou, no entanto,
    e constantemente,
    a cruzar-me contigo.

    Cruzo-me com o teu olhar
    nos olhos de outros.
    Cruzo-me com o teu andar
    nos passos de outros.

    Cruzo-me com a tua voz, 
    com o teu inclinar de cabeça, 
    com os gestos inquietos de tuas maos...

    Cruzo-me tanto contigo
    que nao sinto a tua falta
    nem tenho saudades tuas!

    Pergunto-me o que sinto afinal?

    ...

    Concluo que nem tudo pode,
    nem deve,
    ter um nome.

    fatima


    quinta-feira, janeiro 21, 2016

    de volta..



    Foram dias
    foram anos
    a ponderar, e a tentar,
    coisas impossíveis.

    Foram sonhos
    foram desenganos
    de que restaram, apenas,
    (estas) palavras vazias.


    fatima

    sexta-feira, maio 30, 2014


      
    O superior ralha com o subordinado, que vai para casa e ralha com a mulher que por sua vez ralha com o filho que vai ralhar ao gato...
    Todas as nossas acções para com os outros vão influenciar o seu comportamento seguinte, as suas acções subsequentes.
    Efeito borboleta: um bater de asas de uma borboleta pode provocar um furacão no outro lado do mundo...


    fatima


    quinta-feira, maio 29, 2014

    quarta-feira, maio 28, 2014


    (flores silvestres, foto minha)

    Infelizmente , as flores de estufa saíam pouco, porque tinham medo de se constipar.
    À noite, quando as outras flores passeavam, as flores de estufa ficavam em casa... 



    Sophia de Mello Breyner Andreson, O Rapaz de Bronze



    sábado, maio 24, 2014





    Happiness held is the seed.
    Happiness shared is the flower.


    de John Harrigan





    sexta-feira, maio 23, 2014

    ....


    De destroços de guerra, crescem flores.
    Mulheres que choram entes queridos, plantam flores.
    À parte o que o mundo é e o que as pessoas fazem, haverão sempre flores....





    (Palestina, minas de guerra)

    quinta-feira, maio 22, 2014


    Ele (eu) quer (o) é bolachas (doces)...




    terça-feira, maio 20, 2014

    E se...


    ... os que vêm o mundo ao contrário (de nós), estiverem certos????

    Todos nos devemos questionar, sobre isto, de vez em quando...

    fatima

    sábado, maio 17, 2014

    quarta-feira, maio 14, 2014

    sexta-feira, abril 18, 2014

    ...

    (foto minha, uma papoila maravilhosa :) )


    Ensinaram-me  a crer
    e eu cri.
    (Deus, santos e santinhos.
    Alma, espírito e coisas que tais...)

    Depois.
    Depois (sem culpas de ninguém)
    desaprendi a fé.
    E, claro, perdi o encosto que ela é.

    Dificil viver assim??
    Sim.

    Mas também mais bonito...

    Porque sem crenças nem fé
    r e s t a - n o s

    a Maravilha!!



    fatima




    quinta-feira, abril 17, 2014

    ...


    (foto minha, tirada num jardim da cidade de Oxford)



    Entre o meu País - e os Outros -
    Há um Mar -
    Mas Flores - negoceiam entre nós -
    Como embaixadas.


    de Emily Dickson


    quarta-feira, abril 16, 2014


    Oláaaa Primavera!!!
    Bem vinda....




    terça-feira, abril 15, 2014

    ..



    (foto minha, Oxford, inglaterra)


    Atençao
    essa vida contém cenas explicitas 
    de tédio
    nos intervalos da emoção.
    ...

     de Alice Ruiz

    ...

    (foto minha, cidade de Oxford, Inglaterra)

    Às vezes o mundo inteiro
    não chega para nos escondermos
    ...


    de Vitor Nogueira