segunda-feira, agosto 28, 2006

Aprendi com a primavera

a deixar-me cortar

e voltar sempre inteira.

poema de, Cecília Meireles

18 comentários:

Carlos D disse...

se todos olhassem a natureza
e pudessem aprender
este mundo seria de certeza
um bom lugar onde viver

bjs e um sorriso

Utzi disse...

Olá, querida Fátima. Reli o que me falhou nos últimos dias e deixo aqui um beijo sincero. Adorei este último post... é doloroso sentir estes cortes da vida, mas quando voltamos abrir os olhos renascidos, tudo à nossa volta ganha novas cores, novos cheiros, novas melodias... Coisas da Vida...

Utzi disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Utzi disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Luigi disse...

se alguma vez te sentires cortada, terás que ser semeada de novo e crescer ainda mais vigorosa :)

mixtu disse...

bonito, um renascer, e como escreve bem a cecilia...

besos

alikimista disse...

Lindo....
Bjs

sabr disse...

Tá lindo, tá lindo. Sorri, bjinho, bom dia.

Paulo Santos disse...

um doce e imenso beijo para ti fofinha!
Tambem eu regresso do degredo.
pelos mesmos motivos que tu disseste num post que te trazia de volta!
Vim ler-te e ver-te! É bom!
Adorei este poema. faz-me bem!

Fica o beijo e o convite para uma visita!

Paulo

as velas ardem ate ao fim disse...

já em pequeninos nos cortam o cabelo para ele nascer mais forte, não é???

sabr disse...

Bjinho.

DE PROPOSITO disse...

Uma foto bonita. E aqui estive. Que a felicidade fique contigo.
Manuel

sabr disse...

Bom fim de semana, bjinho.

JMB a.k.a. GIRASSOL disse...

lindo poema

frog disse...

A simplicidade e a beleza de uma papoila...
Tudo renasce na primavera depois de fecundado!

Um beijo...

semremos disse...

É a única forma possível de aprender a viver...voltar a crescer!

mar_e_sol disse...

A divina sabedoria está em saber renascer de facto...tal como a Natureza, o Homem tem essa capacidade, basta querer VIVER e acreditar!
Beijinhos

Anónimo disse...

As curtas dão muito mais gozo à interpretação. Já li e reli e de cada vez gostei de forma diferente.
Hummmm